Engenheiros vencem primeiro Desafio Público de Inovação Aberta da Prefeitura do Recife com proposta para mapear redes de micro e macrodrenagem da cidade

engenheiros-vencem-primeiro-desafio-publico-de-inovacao-aberta-da-prefeitura-do-recife-com-proposta-para-mapear-redes-de-micro-e-macrodrenagem-da-cidade

upla é formada pelos doutorandos Alexson Caetano e Gastão Cerquinha, que propõem identificar as áreas mais vulneráveis para alagamento na capital pernambucana e criar modelo computacional hidrodinâmico. Vencedores receberão premiação de R$ 44 mil, incluindo viagem aos Estados Unidos. (Foto: Daniel Tavares/PCR)

Identificar quais regiões estão vulneráveis e de que forma as marés são determinantes nos alagamentos das vias do Recife em épocas chuvosas são alguns dos objetivos do Projeto Modelo de Gestão em Zonas Protetivas (Protege), de autoria dos estudantes de Doutorado em Engenharia Civil com ênfase em Recursos Hídricos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Alexson Caetano e Gastão Cerquinha. A dupla venceu o primeiro Desafio Público de Inovação Aberta, lançado pela Prefeitura do Recife em parceria com o Centro Universitário Tiradentes (UNIT-PE) e o Tiradentes Institute.

O objetivo do desafio é encontrar soluções para monitorar, mitigar ou anular os impactos das marés na drenagem urbana da cidade. A solução proposta será adotada pela Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb).

O projeto Protege pretende realizar o levantamento completo das redes de microdrenagem – composto de pavimentos das ruas, guias e sarjetas, bocas de lobo e rede de galerias de águas pluviais – e de macrodrenagem – canais e rios – de diversas áreas da cidade. Com as informações, os engenheiros vão analisar o sistema e construir um modelo computacional hidrodinâmico, por meio de softwares, para simular o comportamento da rede de galerias e o impacto de determinado volume de água, gravidade e pressão atmosférica. Essa nova metodologia é baseada num modelo desenvolvido pela Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, que possui taxa de eficiência significativa. 

De acordo com o engenheiro Gastão Cerquinha, o objetivo das análises é compreender os mecanismos de inundação provocados pelas marés e chuvas intensas através da delimitação de três zonas: de maré, hidrológica e de transição. “A partir daí serão produzidos mapas de zoneamento e integração com modelo, podendo-se prever alagamentos por localidade ou até mesmo rua a rua”, explicou o doutorando.

Os modelos convencionais requerem altos investimentos e o Protege, além de ter a vantagem de ter um valor mais acessível, oferece respostas mais rápidas, podendo os órgãos municipais e a Defesa Civil serem acionados com maior agilidade. Segundo o engenheiro Alexson Caetano, a ideia é desenvolver e aplicar uma solução sem ônus para o Recife referente a drenagem urbana, a partir da criação de um produto que possa ser aplicado em cidades litorâneas brasileiras. “Serão dez meses para desenvolvermos o projeto, que é uma etapa inicial no combate às mudanças climáticas, tema que o Recife já tem se preocupado em minimizar o impacto”, completou.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Recife (SDECTI), Rafael Dubeux, é importante que os estudantes desenvolvam soluções para ajudar o município. “Esse é um exercício pleno de cidadania: poder colocar seus conhecimentos a serviço da sociedade, trazendo resultados concretos para população, por meio da articulação entre poder público e instituições de ensino”, apontou o gestor. 

“O Grupo Tiradentes tem como pilar a internacionalização, por isso, é o nosso papel enquanto instituição de ensino buscar melhorias para a vida da população”, afirmou Tom Santana, pró-reitor de Marketing, Vendas e Relacionamento do Centro Universitário Tiradentes (Unit-PE).

PREMIAÇÃO – Os engenheiros civis Alexson Caetano e Gastão Cerquinha receberão como premiação uma viagem aos Estados Unidos com tudo pago e uma bolsa-auxílio para executar o projeto ao longo de dez meses. No total, o prêmio soma R$ 44 mil, incluídos os custos com passagens aéreas e demais necessidades para emissão de passaportes e validação dos vistos. Em solo americano, a dupla vencedora terá a oportunidade de conhecer importantes instituições de ensino e de pesquisa na cidade de Boston, em Massachusetts, nos Estados Unidos. Além disso, a solução proposta pelos vencedores será adotada pela Emlurb para mitigar os efeitos da maré na capital pernambucana.

DESAFIO DE INOVAÇÃO – O Desafio Público de Inovação Aberta é fruto de uma parceria entre a Prefeitura do Recife, por meio da SDECTI e da Emlurb, com UNIT-PE e o Tiradentes Institute, e busca encontrar soluções para atender a problemas estruturais da cidade, a exemplo da situação da drenagem urbana. Puderam participar duplas de estudantes de qualquer curso superior e profissionais graduados em qualquer instituição de ensino superior residentes na capital pernambucana.

Cada equipe apresentou seu projeto por meio de formulário eletrônico e um vídeo de até três minutos, mostrando sua ideia para o tema do desafio. No último dia 4 de novembro ocorreu  a última etapa da seleção, o pitch day –  apresentação, em poucos minutos, de ideias inovadoras, explorando características e benefícios dos projetos – para uma banca julgadora.