Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa encerra Operação Covid no aniversário de 1 ano

hospital-eduardo-campos-da-pessoa-idosa-encerra-operacao-covid-no-aniversario-de-1-ano

Hospital volta agora a sua vocação original de cuidar exclusivamente das Pessoas Idosas do Recife. Celebração aconteceu nesta sexta-feira (1º/10), Dia Mundial da Pessoa Idosa, com a presença do prefeito João Campos. (Foto: Rodolfo Loepert/PCR)

Símbolo do cuidado, da atenção e do respeito à pessoa idosa, o Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa (HECPI) celebrou seu primeiro ano de funcionamento, nesta sexta-feira (1º/10), com a retomada do perfil assistencial original do serviço para a população recifense e solenidade em homenagem aos profissionais da instituição que atuaram na linha de frente contra a covid-19. Na ocasião, também houve o lançamento de um e-book sobre a Operação Covid na unidade, que funcionou como referência para o tratamento de pacientes com síndrome respiratória aguda grave até 30 de setembro. O evento marcou ainda o Dia Mundial da Pessoa Idosa e contou com a presença do prefeito João Campos.  

“Hoje é 1º de Outubro, o Dia Internacional da Pessoa Idosa e a gente faz uma visita, no dia de hoje, ao Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, que é um belíssimo equipamento do município do Recife, e a partir de hoje a gente muda a sua atribuição. Ele estava dedicado com leitos de UTI para a Covid e a gente encerrou ontem a Operação Covid, e ele começou hoje a retomar as suas atividades de acolhimentos, de cirurgias eletivas, de procedimentos de exames. Aqui são mais de 70 leitos de enfermaria e 10 de UTI exclusivos para a população idosa do Recife que são retomados”, destacou o prefeito.

Neste 1º ano, o HECPI se dividiu entre a Operação Covid e os atendimentos ambulatoriais à população recifense. Desde outubro do ano passado, a unidade somou mais de 40 mil consultas realizadas em seu ambulatório, incluindo os atendimentos médicos e demais áreas de saúde, como fonoaudiologia, nutrição, psicologia, enfermagem e serviço social.

“Falar do Hospital do Idoso é falar de uma decisão acertadíssima que foi tomada há 1 ano, olhando para o presente e olhando para o futuro. A gente sabe que a população de idosos hoje no nosso País, estado e município, cresce rapidamente. Hoje a gente tem 9% da população de idosos e a previsão do IBGE é que em 2060 essa população chegue a 25%. E a gente sabe que não é só o crescimento de uma população, isso reverbera no perfil de adoecimento, no perfil de mortalidade, e esse hospital aqui mostra o quanto a gestão municipal dá importância a isso, o quanto se investe e o quanto acredita que esse é o caminho. O Hospital também não se furtou no importante momento da pandemia – ‘a pandemia está aí e a gente está aqui para ajudar’”, declarou a secretária de saúde do Recife, Luciana Albuquerque, na ocasião.

O Serviço de Apoio e Diagnóstico da unidade somou mais de 325 mil exames realizados neste primeiro ano, incluindo exames laboratoriais e de imagem, como ressonância magnética, tomografia computadorizada e ecocardiogramas. Já em seu bloco cirúrgico, o HECPI fez mais de 5 mil procedimentos, incluindo cirurgia vascular, urológica e proctológica. 

OPERAÇÃO COVID – O Hospital da Pessoa Idosa teve um papel fundamental na rede de assistência municipal aos pacientes de covid. Desde janeiro, a unidade atendeu mais de mil pacientes, encaminhados de todo o Estado. Para tanto, contou com uma estrutura de 72 leitos de terapia intensiva e quase que duplicou seu quadro de recursos humanos. Com a desmobilização, a unidade retorna às suas atividades normais de internamento para a população recifense, disponibilizando 62 leitos de enfermaria e 10 UTIs.  

HECPI – Com mais de 8 mil m² de área construída, o Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa conta, ao todo, com 72 leitos, sendo 62 de enfermaria e 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para atendimentos de média e alta complexidade. A unidade municipal também tem centro diagnóstico e ambulatório com 13 consultórios para consultas médicas e não médicas, como as de psicologia, enfermagem e farmacêuticas. Há também quatro salas de cirurgia, leitos para recuperação pós-anestésica, salas de curativo e de exames laboratoriais, além de laboratório, farmácia e praça de alimentação.

Atualmente o HECPI conta com cerca de 460 funcionários e possui capacidade para oito mil consultas mensais com médicos clínicos, geriatra, cardiologista, enfermeiro, fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social, nutricionista e fonoaudiólogo; a maioria especializada em saúde da pessoa idosa. O Hospital do Idoso também oferta cirurgias geral, vascular e urológica; atendimentos com neurologista, urologista, proctologista, entre outros. A unidade municipal ainda terá capacidade para 700 internações e 500 cirurgias mensais. 

Na área de Apoio Diagnóstico, do hospital, a unidade tem capacidade para realização de 30 mil exames por mês, entre eles os de imagem, como raio-x, ultrassonografia, tomografia e ressonância magnética; endoscopia e colonoscopia; exames do coração, como holter, ecocardiograma, eletrocardiograma, exames neurológicos, como eletroneuromiografia e eletroencefalograma, além de punção e biópsia. 

DIA MUNDIAL DA PESSOA IDOSA – Para marcar o Dia Mundial da Pessoa Idosa, também celebrado neste 1º de outubro, o Hospital da Pessoa Idosa preparou uma programação especial para os usuários da unidade. As ações terão início nesta sexta-feira (1º) com uma Sala de Espera no ambulatório da instituição sobre Saúde Integral do Idoso, que será ministrada de forma interdisciplinar por diversos profissionais do serviço.  

As atividades para celebrar a data serão realizadas durante todo o mês, com uma série de palestras, que incluem temas como Saúde bucal; Prevenção de Quedas; Cuidados com a pele; Alimentação saudável; Cuidados com a Deglutição, Mitos e verdades sobre medicamentos farmacêuticos; Acolhimento e direitos da pessoa idosa; Mitos e verdades sobre a covid-19 (infecção causada pelo novo coronavírus). 

Além disso, os usuários e acompanhantes que forem à unidade nesta sexta serão recebidos com algumas ações extras de acolhimento, como atividades culturais e adesivaço.