Prefeitura do Recife lança licitação para a recuperação da Ponte Giratória

prefeitura-do-recife-lanca-licitacao-para-a-recuperacao-da-ponte-giratoria

Equipamento passou por reparos na cabeceira sul e agora terá toda a estrutura beneficiada por uma intervenção completa.

 

A Prefeitura do Recife, por meio da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), publicou no Diário Oficial do Município, nesta quinta-feira (11), uma licitação no valor de R$ 9.473.411,82 para a recuperação estrutural da Ponte 12 de Setembro. Mais conhecida como Ponte Giratória, a estrutura liga os bairros de São José e Bairro do Recife, interligando a Avenida Alfredo Lisboa e o Cais da Alfândega ao Cais de Santa Rita. O processo licitatório deve durar três meses, respeitando os prazos estabelecidos pela Lei de Licitações nº 8.666. A intervenção deverá ser concluída no prazo de 18 meses.

Em junho deste ano, a Emlurb realizou serviços para recuperação de 253 m² da laje de transição da cabeceira sul da Ponte Giratória. O custo total do serviço foi de R$ 135 mil. A nova intervenção faz parte do programa de recuperação de pontes da cidade que já beneficiou as da Torre, do Derby e a Motocolombó, além das juntas de dilatação de viadutos como os de Joana Bezerra, Via Mangue e da Avenida Norte.

A Ponte Giratória em sua parte rodoviária passará pela recuperação do tabuleiro da ponte com a execução de 4.502,47m² de concreto projetado para formação de uma capa de concreto armada com tela de aço; reconstituição de aproximadamente sete toneladas de aço da superestrutura; recuperação do guarda-corpo; substituição de 24 aparelhos de apoio, dentre outras intervenções.

Características – A ponte tem uma extensão total de 195,25m com cinco vãos, três deles centrais que medem 41,45m, 43,35m e 41,45m, e vãos de 34m nas extremidades. É formada por um tabuleiro único, contínuo, com seção transversal tipo caixão ao longo de toda a sua extensão, possui transversinas e altura variável em cada apoio. Transversalmente, a ponte tem uma largura total de 22m, ambos os lados contemplam um passeio de pedestres de 3m no lado norte e 2m no lado sul, duas faixas de rolamento em torno de 4,0m e guarda rodas de 0,23m em cada passeio.

Recuperação de Pontes – A Prefeitura do Recife vem trabalhando na recuperação de pontes, pontilhões e passarelas da cidade, com o objetivo de garantir a segurança de quem faz uso desses equipamentos, muitos deles já conhecidos cartões postais da capital do Estado. Já foi entregue a recuperação estrutural das pontes da Torre, do Derby, e a requalificação da Ponte Motocolombó, importante eixo de ligação entre a Zona Sul e o Centro, conectando os bairros da Imbiribeira e de Afogados. O investimento nessas três pontes foi de mais de R$ 15 milhões.

Outras intervenções – Em 2015, a Emlurb investiu, com recursos próprios, cerca de R$ 1,5 milhão na recuperação e reconstrução da ponte do Rio Tejipió. Em 2018, o órgão concluiu a recuperação estrutural da ponte na Rua José C. Cosme, em Dois Unidos, intervenção que contou com a demolição da antiga estrutura e construção de uma nova em concreto. O serviço teve um custo de R$ 800 mil. A nova ponte, com 16 metros de extensão, cruza o Rio Morno, no ponto localizado na Rua José C. Cosme. A estrutura foi projetada para a passagem de veículos nos dois sentidos, além de passeio para pedestres com guarda-corpo. Em função dos desgastes naturais dos materiais que compunham a antiga estrutura da ponte foi necessária a intervenção, resgatando suas características iniciais.

Além dessas intervenções, em 30 de abril deste ano a Emlurb concluiu o pontilhão da Avenida Pinheiros, na Imbiribeira, complementando a requalificação da via. O novo pontilhão, com 15 metros de extensão, foi construído em concreto, com sua base em quatro bueiros celular, duas faixas de rolamento para a passagem de veículos e passeios nas duas extremidades. O valor investido na nova estrutura foi de R$ 740.622,16.

Todos os anos, a Emlurb também realiza a manutenção externa das pontes. Os serviços abrangem a pintura das estruturas, pequenos consertos nos elementos mais visíveis como guarda-corpo, vigas de bordo, iluminação e passeios, por exemplo. Estas ações também funcionam como uma camada de impermeabilização para o concreto, além de eliminar as pichações existentes nas estruturas.