Garanhuns / IPSG apresenta resultado de auditoria



O bom funcionamento das Previdências Municipais garante o desenvolvimento dos municípios brasileiros, e isto vai além de garantir a aposentadoria de seus servidores: se não houver a correta administração e transparência neste setor, as prefeituras deixam de receber repasses, transferências e firmar os acordos necessários para a manutenção dos municípios. Com o intuito de entender a situação dos repasses previdenciários, o IPSG contratou uma empresa de auditoria para apurar a situação do Instituto. A empresa contratada tem credibilidade reconhecida e assume integralmente os dados levantados apresentados em relatório.

De acordo com a presidente do IPSG, Claudomira Andrade foi levantado no relatório de auditoria que, ao longo dos anos de 2013 a 2020, o município deixou de repassar ao Instituto a quantia de R$ 62 milhões de reais. “Desde o final de janeiro de 2021, percebemos que a situação do Instituto era muito diferente do que se ouvia falar, das premiações recebidas, inclusive. Nossa equipe começou a fazer inspeções internas e notamos que os números não batiam. Recebemos a informação inicial de que tínhamos mais de R$ 53 milhões de reais em caixa, mas quando fizemos o primeiro pagamento dos aposentados percebemos incongruência dos valores”, pontua a presidente.

De acordo com a Procuradoria Geral do Município, sob a coordenação do Dr. Paulo André Couto Soares, diante das informações recebidas no relatório de auditoria interna não restou outro caminho à presidente do Instituto, que bem enviar os resultados da citada auditoria para conhecimento do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), para a devida apreciação à questão e, consequentemente, a tomada das providências necessárias se a respeitável Corte de contas entender necessária. “É necessário frisar que o relatório de auditoria mencionado também deverá ser enviado ao Ministério Público de Contas”, pontua o procurador.

A falta de repasses de recursos para o Instituto foi identificado em virtude das informações prestadas pelo município de Garanhuns, entre 2013 e 2020, ao TCE-PE. Logo, em razão da gravidade da situação apontada no laudo técnico de auditoria, o IPSG, na figura de sua presidente Dra. Claudomira Andrade e no cumprimento do seu dever funcional, bem enviou aos órgãos de controle externo a questão para os devidos posicionamentos. A servidora reafirma o seu compromisso com a transparência e legalidade na condução dos destinos administrativos da aludida instituição.

Arte: Anderson Carlos