secretario-estadual-de-saude,-andre-longo,-nao-acata-decisao-do-conselho

Secretário Estadual de Saúde, André Longo, não acata decisão do Conselho

IVISON GAMBARRA/SEI

Embora o Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco (CES-PE) tenha solicitado a imediata suspensão das aulas presenciais em todo o sistema de ensino, público e privado de Pernambuco e por medidas mais restritivas das atividades, o secretário estadual de Saúde, André Longo, que é presidente do Conselho, afirmou que não vai acatar a decisão.

“O Conselho tem autonomia, mas a decisão é da autoridade sanitária. É possível que se atenda essa recomendação em relação a medidas pontuais de quarentena. Mas diante da avaliação que o Comitê de Enfrentamento faz, que recebe recomendações de vários pesquisadores, instituições e epidemiologistas, cabe ao Comitê fazer essa avaliação”.

Longo também afirmou que a Educação é prioridade e que as escolas estão seguindo os protocolos sanitários e criando um ambiente seguro para as crianças e adolescentes. Além disso, ele enfatizou que não uma obrigatoriedade de as aulas serem presenciais. “Não é obrigatório o ensino presencial, ele está sendo ofertado em segurança. Quando a gente nota aceleração exponencial, a gente suspende essas atividades, mas hoje essas atividades são seguras e devem ser preservadas, na medida em que a parada da educação é muito mais grave”.

A nota do Conselho Estadual, se baseia na recomendação do Conselho Nacional de Saúde N.008 de 26 de abril de 2021, que indica: “Que não sejam retomadas as aulas presenciais durante a pandemia, mesmo que haja fomento dos empresários da educação, até que ocorra a realização de vacinação em massa, com planejamento adequado e medidas efetivas para que as escolas tenham melhores condições de receber os estudantes e os trabalhadores”.

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: