alunos-de-escolas-publicas-participam-de-formacao-no-setor-audiovisual

Alunos de escolas públicas participam de formação no setor audiovisual

Divulgação

Divulgação

90 alunos da rede pública vão participar da formação

A Casa de Cinema de Olinda comanda, nesta quarta-feira (5), uma aula extracurricular para 90 alunos da rede pública do ensino médio de Pernambuco sobre a cadeia produtiva do audiovisual. A atividade, que será mediada pelos produtores Mauro Lira e Carla Francine, contará com a exibição do making of do longa “Meu Passado Me Condena”, que teve mais de três milhões de espectadores nos cinemas, além de ter sido exibido em canais de TV do país, dirigido por Julia Rezende e produzido pela Morena Filmes, que apoia a iniciativa, junto à Secretaria de Educação estadual através da sua Secretaria Executiva de Educação Integral e Profissional, que mobilizou o público alvo.

Após a exibição, os produtores conversarão com alunos do ensino médio de quatro escolas sendo três do Recife e uma de Caruaru, sobre o setor que em 2018 injetou 26,7 bilhões de Reais na economia brasileira e 3,5 bilhões em impostos diretos e indiretos, segundo dados da ANCINE (Agencia Nacional de Cinema), gerando mais de 300 mil empregos e representando 0,46% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil.

Os produtores falarão sobre os diversos elos da cadeia produtiva, e das várias profissões envolvidas e das possibilidades de trabalho no setor, além das oportunidades de formação em Pernambuco, que além dos cursos superiores nas universidades públicas e privadas no estado, que conta agora com uma nova Escola Técnica do Audiovisual funcionando na Cidade de Caruaru, mantida pela Secretaria de Educação do Estado.

O setor que até 2018 vinha numa grande ascendência, com uma taxa de crescimento de 8,8% ao ano, tem enfrentado dificuldades com a paralisação de importantes mecanismos de fomento nacionais, mas para os produtores “é uma fase ruim, que todos estamos enfrentando e que passará. Até porque o mundo está cada vez mais imagético e audiovisual, e o setor tem alta capacidade de inovação e adaptação, sendo uma força motriz da economia e da geração de empregos em todo o mundo e não será diferente no Brasil” afirma Carla.

A atividade é uma reciprocidade ao Edital da Lei Aldir Blanc para Espaços Culturais promovido pela Prefeitura do Recife.

Sobre os facilitadores

Carla Francine – É formada em Jornalismo e pós-graduada em Gestão e Produção Cultural. Atua no audiovisual desde a década de 1990, já participou da produção de mais de 150 documentários, filmes e séries nas funções de produtora, assistente de direção, roteirista e diretora. Entre 2007 e 2014 foi Coordenadora de Audiovisual do Governo de Pernambuco e de 2017 a 2018 integrou o Comitê Gestor do FSA/ANCINE, pela sociedade civil. É sócia da Casa de Cinema de Olinda, fundada em 2016, que tem foco na produção de obras audiovisuais de longa metragem e séries para TV, além de projetos de formação e difusão.

Mauro Lira – Tem experiência diversificada adquirida ao longo de 30 anos, nos vários segmentos de marketing cultural, projetos educativos, sociais, culturais e de entretenimento abrangendo desde a concepção, estruturação, realização e finalização, atuando como produtor. Na área de audiovisual já integrou a equipe de vários projetos de séries e filmes documentais e ficcionais, de formação, e de festivais e mostras de cinema, a exemplo do Cinema de Índio, Recifest – Festival de Diversidade Sexual e de Gênero.

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: