Transtornos Alimentares: Principais distúrbios que você precisa conhecer.

                Os transtornos alimentares são caracterizados por alterações na forma de se alimentar, normalmente devido a uma preocupação excessiva com o peso e a aparência do corpo.

               Devemos entender que os transtornos alimentares (TA) são doenças mentais que abrangem sintomas físicos e psíquicos cuja etiologia é multifatorial, envolvendo predisposição genética e sociocultural, vulnerabilidade biológica e psicológica, além de questões familiares de padrões de vínculo disfuncionais.

                Eles podem ter características como passar várias horas sem se alimentar, fazer uso frequente de laxantes, colocar o dedo na boca para provocar o vômito e evitar sair para comer em locais públicos. Devido a sua origem multifatorial, os transtornos alimentares são considerados de difícil tratamento, sendo necessária a interação das abordagens nutricional, psicológica e médica.

                Os transtornos alimentares podem causar consequências graves, como problemas nos rins, no coração e em caso levando até morte. Em geral, eles surgem com mais frequência nas mulheres, especialmente durante a adolescência, e costumam estar ligados a problemas como ansiedade, depressão e uso de drogas.

No decorrer deste artigo iremos tentar explicar os 3(três) principais distúrbios alimentares:

  1. Anorexia:

A anorexia ou anorexia nervosa é um distúrbio no qual a pessoa vê seu corpo sempre com excesso de peso, mesmo que ela esteja claramente com baixo peso ou desnutrida. Existe um medo intenso de ganhar peso e uma obsessão para emagrecer, sendo a sua principal característica a rejeição a qualquer tipo de comida.

Alguns dos Principais sintomas: olhar no espelho e se sentir gordo, não comer para não engordar, contar/pesar as calorias da refeição antes de comer, evitar comer em público, fazer exercícios em excesso para emagrecer,  tomar remédios e chás para emagrecer.

Tratamento: a base do tratamento da anorexia é a psicoterapia, junto com a nutricionista e acompanhamento médico psiquiátrico, que irá ajudar a melhorar o comportamento em relação à comida e ao próprio corpo, podendo ser necessário o uso de medicamentos contra a ansiedade e depressão. Além disso, deve haver um acompanhamento nutricional para orientar uma alimentação saudável e o uso de suplementos alimentares para suprir a carência de nutrientes do organismo.

  • Bulimia:

            A bulimia é caracterizada por episódios frequentes de compulsão alimentar, nos quais há um consumo de grandes quantidades de comida, seguido de comportamentos compensatórios como forçar o vômito, usar laxantes ou diuréticos, ficar sem comer e praticar exercícios em excesso para tentar controlar o peso.

Principais sintomas: inflamação crônica na garganta, refluxo gástrico, cáries e sensibilidade nos dentes, praticar muito exercícios físico, comer grandes quantidades escondido, desidratação e problemas gastrointestinais.

Tratamento: também é feito com acompanhamento psicológico para reverter o comportamento em relação à comida e acompanhamento nutricional, para se ter orientações sobre a adequação da dieta e do equilíbrio dos nutrientes. Além disso, pode necessário o uso de medicamentos para ansiedade e para controlar os vômitos.

3. Compulsão Alimentar

           A compulsão alimentar são episódios frequentes de comer exageradamente, mesmo quando não se tem fome. Existe uma perda do controle sobre o que se comer, como se a pessoa estivesse com fome o tempo todo, mas não existe comportamentos compensatórios como vômitos ou uso de laxantes.

Principais sintomas: comer exageradamente até quando não se tem fome, dificuldade para parar de comer, comer muito rápido, consumir alimentos estranho como arroz cru ou feijão gelado, excesso de peso.

Tratamento: deve-se fazer um acompanhamento psicológico, nutricional e acompanhamento médico tendo como objetivo ajudar a identificar as causas dos episódios de compulsão alimentar e reaver o controle sobre a comida. Também costuma ser necessário acompanhamento nutricional para controlar o peso e prováveis problemas de saúde decorrentes do transtorno, como colesterol alto e gordura no fígado, sendo em alguns caso o acompanhamento  para uso de medicação que só deve ser prescrita pelo médico .

4. Transtorno Alimentar Noturno

              O Transtorno Alimentar Noturno, também conhecido como Síndrome do Comer Noturno, é caracterizado pela falta de apetite durante a manhã, compensada por uma grande ingestão de comida durante a noite, que é acompanhada de insônia com ida e vinda na geladeira.

Principais sintomas: acordar à noite para comer, não sentir fome ou comer pouco durante o dia, nem sempre lembrar que comeu muito durante a noite, ter excesso de peso.

Tratamento: é realizado com médico, nutricionista e psicoterapia, feito com psicoterapia e uso de medicamentos prescrito pelo médico, em alguns caso  tendo como objetivo regular o sono e, quando necessário, antidepressivos. Antes o paciente passará por uma entrevista que avaliado o problema e encaminhar para os profissionais, tendo como objetivo minimizar ansiedade do paciente e seus familiares.

                É importante lembrar que durante o tratamento de qualquer distúrbio alimentar é essencial ter o apoio da família para que o paciente entenda sua condição e colabore para superar o problema. Se possível,  todos em casa devem se esforçar para ter hábitos de vida saudáveis, como alimentação equilibrada e prática regular de atividade física.


Por : Marta Batista
Psicóloga – Neuropsicóloga – Avaliação Psicológica para Cirurgia Bariátrica
Mestranda em Psicologia da Saúde

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: