promotora-de-gravata-adverte-sobre-uso-de-bens-publicos-no-ano-eleitoral

Promotora de Gravatá adverte sobre uso de bens públicos no ano eleitoral

A Promotora de Justiça de Gravatá, Doutora Fernanda Nóbrega (foto), responsável pela Promotoria de Justiça da 30ª Zona Eleitoral de Gravatá, agreste pernambucano, está atenta ao comportamento dos candidatos, partidos e coligações.

Nesta última terça-feira (19) a promotora assinou a primeira recomendação com vistas ao processo eleitoral deste ano. Atentando sobre a inibição do uso de bens público durante o ano eleitora a favor de candidato. Ao contrário do que se pensa, a Lei nº 9504/97 proíbe durante ‘todo ano eleitoral’, o uso, ou cessão, de bens públicos a favor de partidos políticos, candidatos ou coligações. Os bens públicos só podem ser utilizados exclusivamente para realização de convenção partidária.

O presidente da Câmara Municipal, Léo do AR (PSDB) e o prefeito da cidade, Joaquim Neto (PSDB), devem tornar público a decisão do Ministério Público nos sites institucionais e enviar documentos que comprovem a decisão no prazo de 10 dias a contar da notificação oficial.

Se algum prédio
público for utilizado para fins políticos, os gestores deverão
pagar multa de até R$ 106 mil reais, pena de improbidade
administrativa, além da cassação do registro ou diploma do
candidato beneficiado, além de inelegibilidade, bem como
repercussões criminais.

The post Promotora de Gravatá adverte sobre uso de bens públicos no ano eleitoral appeared first on Pernambuco Notícias – as principais notícias de Pernambuco.

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: