Programa vai inserir adolescentes da Funase em oficinas de educação para o trabalho

Funase

Acessuas será executado por municípios onde há unidades socioeducativas, com articulação da Secretaria Executiva de Assistência Social de Pernambuco

Adolescentes do sistema socioeducativo em Pernambuco serão inseridos em oficinas do Programa Acessuas Trabalho. Por meio da iniciativa, esse público poderá se capacitar em temáticas voltadas ao ingresso no mercado, como elaboração de currículos e empreendedorismo. Financiado pelo Governo Federal no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas), o programa será executado por municípios pernambucanos, com articulação da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude do Estado (SDSCJ), por meio da Secretaria Executiva de Assistência Social e da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

O funcionamento das oficinas ocorrerá conforme a dinâmica de cada região. Em alguns casos, principalmente no regime de semiliberdade, os socioeducandos serão inscritos em atividades realizadas em ambientes externos, com apoio para alimentação e deslocamento. Em outras ocasiões, principalmente nas que envolverem socioeducandos em internação, as oficinas serão promovidas dentro das instalações da Funase. O projeto será executado em vários municípios onde a instituição tem unidades, como Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Vitória de Santo Antão, Caruaru, Arcoverde e Petrolina.

Em reunião promovida de forma virtual, 32 gestores e assessores da Funase conheceram os objetivos do programa. O passo seguinte foi o estreitamento do contato com técnicos nos municípios, que realizarão esse trabalho de forma atrelada aos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e aos Centros Especializados de Referência de Assistência Social (Creas). Nos Centros de Internação Provisória e na Unidade de Atendimento Inicial (Uniai), onde o tempo de permanência dos adolescentes é menor, a Funase fará encaminhamentos para que o programa possa atendê-los mesmo que não estejam mais na instituição.

“Apresentamos normativas relacionadas ao Acessuas e também a informação, aos gestores da Funase, de que alguns dos usuários que podem ser mobilizados para participar do programa são os socioeducandos atendidos pela instituição”, afirmou a coordenadora de Programas e Benefícios da Proteção Básica da Secretaria Executiva de Assistência Social de Pernambuco, Lorena Perruci.

Segundo a superintendente da Política de Atendimento da Funase, Íris Borges, atuar pela educação para o trabalho de forma atrelada à rede de assistência social é uma iniciativa diferenciada no processo de reinserção desses adolescentes e jovens no convívio coletivo. “Tivemos a informação de que os recursos federais e as metas para o programa ainda não foram esgotados na maioria dos municípios onde a Funase tem unidades, de modo que será possível realizá-lo de forma ampla”, avaliou.

 

Imagem: Divulgação/Funase

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: