Mais de um mês após rompimento do PT com o PSB, esposa de João da Costa segue em cargo no Governo de Pernambuco

João da Costa. Foto: Carlos Lima/Dilvugação

Quarenta dias após o rompimento do PT com o PSB em Pernambuco, Marília Bezerra segue na presidência da Empresa Pernambucana de Transporte Coletivo Intermunicipal (EPTI). Ela é esposa do ex-prefeito do Recife e ex-vereador João da Costa (PT).

Marília Bezerra foi nomeada para a função em fevereiro de 2019, no início do segundo mandato de Paulo Câmara no Governo de Pernambuco, quando os dois partidos estavam próximos em Pernambuco após a aliança nas eleições de 2018.

Na época, quando Marília Bezerra foi nomeada pela primeira vez para o cargo, as notas de política informaram que era uma indicação do senador Humberto Costa (PT). Naquele período, João da Costa tinha acabado de assumir um mandato como vereador, após a posse da então vereadora Marília Arraes (PT) como deputada federal.

Apesar de continuar na estatal do Governo de Pernambuco, a presença de Marília Bezerra no Governo de Pernambuco não tem sido debatida internamente no PT, segundo apurou o Blog com fontes das alas próximas ao PSB e da ala crítica aos pessebistas.

A EPTI tem como competência a gestão do Sistema de Transporte Coletivo Intermunicipal de Passageiros do Estado de Pernambuco – STIP, envolvendo o planejamento, a implementação, a fiscalização e a outorga a terceiros dos serviços a ele relacionados. Competindo-lhe planejar e definir a rede de transporte coletivo intermunicipal de passageiros e coordenar a sua implantação.

Nesta segunda-feira (22), a EPTI abriu um chamamento público para “estabelecer o credenciamento de empresas gráficas interessadas em produzir adesivos de identificação do transporte intermunicipal de passageiros, obedecendo a características e especificidades de cada modalidade de fretamento”. 

O chamamento é assinado por Marília Bezerra no Diário Oficial do Estado de Pernambuco desta terça-feira (23), com a data alusiva ao dia anterior.

Na pré-campanha eleitoral, João da Costa faz parte da ala petista que defendia aliança com o PSB nas eleições do Recife, preterindo Marília Arraes, que acabou candidata por determinação da Direção Nacional do PT.

No início da campanha, João da Costa fez críticas indiretas a Marília Arraes ao insinuar que a então candidata estaria “escondendo” o vermelho do PT nos atos de campanha.

Durante o segundo turno, João da Costa afirmou apoiar Marília Arraes na eleição para a Prefeitura do Recife. Ele foi alvo de críticas da campanha de João Campos sobre o período em que foi prefeito do Recife.

Em uma manifestação durante o segundo turno em uma rede social, o ex-prefeito prometeu “abrir a Caixa de Pandora na hora certa”. As informações são do Blog de Jamildo.


Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: