joao-paulo-analisa-reflexos-da-queda-no-preco-do-petroleo

João Paulo analisa reflexos da queda no preço do petróleo

COMPARAÇÃO – “Agora o Brasil vai  entender a diferença entre a ‘marolinha’ de 2008, com Lula, e o tsunami com Bolsonaro.” Foto: Roberto Soares

O deputado {dep: 364606(João Paulo)} (PCdoB) comentou, nesta segunda (9), os reflexos no Brasil do abalo no mercado financeiro global provocado pela queda expressiva nos preços do petróleo. Na avaliação feita pelo parlamentar durante a Reunião Plenária, as medidas econômicas adotadas pelos governos do ex-presidente Michel Temer e do atual mandatário, Jair Bolsonaro, agravam a situação.

João Paulo frisou que a redução de 30% no preço do petróleo fez as ações da Petrobras recuarem mais de 25%, e a companhia perder R$ 74,7 bilhões em valor de mercado em apenas 30 minutos. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), inclusive, interrompeu temporariamente sua operação após queda de 10% do principal índice, o Ibovespa. Além disso, o dólar teve forte alta e, para contê-la, o Banco Central anunciou a venda de US$ 3 bilhões.

De acordo com o comunista, a reserva internacional deixada pelos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff tem ajudado o País a “evitar o caos”. “Agora o Brasil vai  entender a diferença entre a ‘marolinha’ de 2008, com Lula, e o tsunami com Bolsonaro; a diferença de governos soberanos, com capacidade de respostas estratégicas, e governos entreguistas de ideias ultraliberais e rentistas”, disse.

João Paulo registrou, ainda, o crescimento de apenas 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, abaixo do esperado, e as projeções pessimistas para 2020. Na avaliação dele, as reformas trabalhista e da Previdência não tiveram resultado e “o sacrifício de milhões de pessoas foi totalmente em vão”. Ele defendeu que, em vez de políticas de austeridade, haja aumento no investimento público para promover o desenvolvimento do País.

“Com medidas que prejudicam os mais pobres e a classe média, a demanda por consumo diminui, levando à redução do lucros das empresas, que, assim, acabam optando por demitir funcionários. Quando o desemprego cresce, a renda cai, levando a um menor consumo das famílias. Então, o ciclo tende a se repetir e intensificar, tendo, como um dos efeitos, a redução do PIB”, afirmou. “O Governo Bolsonaro tem sido um desastre para a grande maioria do povo brasileiro.”

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: