funai-fornece-apoio-a-testagem-da-populacao-indigena-em-sao-paulo

Funai fornece apoio à testagem da população indígena em São Paulo

Fundação acompanha a aplicação de testes rápidos realizada pelo Instituto Butantan

Publicado em

10/07/2020 15h45

A Fundação Nacional do Índio (Funai) acompanha a aplicação de testes rápidos para o diagnóstico de covid-19 na população indígena no estado de São Paulo, onde vivem cerca de 6 mil indígenas. As ações são realizadas pelas equipes técnicas do Instituto Butantan e das secretarias de Saúde estadual e municipais.

Nessa quinta-feira (9), as equipes realizaram a aplicação dos testes rápidos na aldeia Rio Branco, município de Itanhaém, e, nesta sexta-feira (10), irão atuar na aldeia Takuarity, em Cananéia. A aplicação dos testes teve início nas aldeias da Baixada Santista, em São Vicente e em Mongaguá, nos dia 6 e 8, respectivamente. “Todas as aldeias do estado poderão ser beneficiadas, desde que concordem com a realização da testagem”, pontua a chefe do Serviço de Promoção dos Direitos Sociais e Cidadania (Sedisc) da unidade da Funai, Karina Ono.

A ação prevê a testagem massiva com aplicação dos testes rápidos. Estes testes apontam, em cerca de 20 minutos, se há presença de vírus ativo (IgM) e se houve contato anterior com o vírus (IgG). Caso haja resultado positivo para o IgM, é realizada imediatamente a coleta para um segundo exame, o RT-PCR. A análise do material coletado é feita em laboratório em São Paulo (SP), e encaminhado via Vigilância Epidemiológica do município. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, que também compõe a ação, é responsável por articular com as unidades básicas de saúde do município para acompanharem a ação e fazerem os encaminhamentos dos eventuais exames RT-PCR.

Na avaliação de Karina Ono, “o isolamento, entretanto, é a etapa mais desafiadora da ação, devido à ausência ou dificuldade de adaptação em estruturas prévias nas aldeias e a manutenção de um eventual espaço, com fornecimento de alimentação, camas/leitos, adaptação de banheiros com chuveiros, cozinha, cuidados médicos e transporte à rede estadual em casos graves. É fundamental uma atuação conjunta entre Sesai, Funai, Secretarias de Estado e Municípios para garantir locais adequados de isolamento nas aldeias”, relata.

Ações da Funai

Além do apoio da CR Litoral Sudeste e suas seis Coordenações Técnicas Locais (CTLs) à testagem para covid-19, as unidades da Funai realizam a articulação com municípios e outras instituições para a proteção e segurança alimentar nas comunidades indígenas. As medidas incluem o fornecimento de cestas básicas, itens de higiene e limpeza, máscaras e cobertores para cerca de 80 aldeias dos povos Guarani Mbya, Guarani Nhandewa, Terena, Kaingang e Krenak.

De acordo com dados da Coordenação-Geral de Promoção dos Direitos Sociais (CGPDS/Funai), já foram distribuídas 7,8 mil cestas de alimentos para a população indígena da região, entre doações e cestas adquiridas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com recursos do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH). As aldeias também já receberam 5,2 mil kits de higiene e limpeza. Foram beneficiadas 1,4 mil famílias indígenas.

O coordenador regional Roberto Cortez de Souza afirma que “a maior parte dos indígenas tem seguido as orientações sobre o protocolo de segurança contra a covid-19. Na questão alimentar, a distribuição das cestas básicas contribui para que a maioria permaneça nas aldeias, evitando assim a contaminação em massa”, conclui.

Com informações da Fundação Nacional do Índio

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: