Com sessões virtuais, espetáculo “(In)Confessáveis – O Jogo da Verdade” reestreia em janeiro

A peça será transmitida nos dias 19, 20, 26 e 27/1, terças e quartas-feiras, às 21h, pelo Zoom

Postado em:

Artes Cênicas

Divulgação

Divulgação

O espetáculo conta com a participação de atores de Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo

31 atores, divididos em três salas simultaneamente, fazem as mais diversas confissões ao público transmitidas pela plataforma Zoom. Os relatos podem ser histórias verdadeiras dos próprios atores que os interpretam; histórias verdadeiras, mas pertencentes a outro integrante do coletivo; ou ainda uma confissão completamente ficcional. Essa é a proposta do espetáculo virtual “(In)Confessáveis – O Jogo da Verdade”, que o Coletivo Impermanente reestreia agora em janeiro, nos dias 19, 20, 26 e 27/1, terças e quartas-feiras, às 21h, pelo Zoom.

Com a participação de atores de Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, o formato inédito do espetáculo coloca o espectador como o grande árbitro do jogo realizado ao vivo e garante não só uma interação direta com a experiência, mas também cria um estado de atenção que prende a plateia do início ao fim. Os relatos vão de simples causos do dia a dia até tópicos relevantes para a sociedade. Cada ator do grupo teatral trabalha com pelo menos duas confissões. Isso faz com que as sessões de “(IN)CONFESSÁVEIS” nunca sejam iguais umas as outras.

É o público quem decide no que acreditar. Ao final da apresentação de cada ator, uma enquete faz a pergunta: ‘Essa história é verdadeira ou falsa?’. O ator que tiver o maior percentual de verdade irá se apresentar novamente para disputar uma segunda rodada entre os mais votados de cada sala. Nessa nova rodada, elenco e público se juntam em uma única sala do Zoom, onde após as apresentações acontece um bate-papo sobre o espetáculo.

O experimento é dirigido pelo ator, diretor e dramaturgo Marcelo Várzea. “De fato, um encontro. Trinta e um artistas, corpos de vários estados brasileiros, juntos num ambiente online, aceitando o desafio desse tempo de isolamento social. Revirei-me como artista nessa condução de naturezas distintas e me vi renascido junto ao parto de (IN)CONFESSÁVEIS e do Coletivo Impermanente”, conta o diretor.

Durante a primeira temporada em dezembro, o “(IN)CONFESSÁVEIS” reuniu um público de cerca de 1.200 espectadores, além de ter sido a atração mais vista na última edição da Virada Cultural de São Paulo, de acordo com dados da própria organização do evento.

SOBRE O COLETIVO IMPERMANENTE – O espetáculo “(IN)CONFESSÁVEIS” surgiu do aprofundamento da pesquisa de Marcelo Varzea em torno de suas primeiras obras ficcionais até então, “Silêncio.doc” e “Dolores”.

Em agosto de 2020, em meio às consequências da pandemia para a classe artística, foi inaugurada a primeira turma da oficina “Da Autoficção ao Teatro Narrativo”, uma parceria entre a Oswald de Andrade e a Poiesis, incentivadas pelo Governo do Estado de São Paulo. “No meio de uma paralisação global, no ápice da desaceleração e desmonte da cultura, consegui, graças à Poiesis e à Oficina Cultural Oswald de Andrade, dar encaminhamento à minha pesquisa diante do binômio verdade/mentira em todos os âmbitos da dramaturgia contemporânea”, comenta Varzea.

Foram quatro meses de estudos teóricos e diversos exercícios práticos que permeavam a construção do Teatro Narrativo e que culminaram na criação do


espetáculo “(IN)CONFESSÁVEIS” e, consequentemente, do Coletivo Impermanente.

Desenvolvido durante a pandemia, o experimento surge num momento de necessidade e urgência de trocas artísticas, como disse Marcelo: “Longe do drama clássico, da interpretação teatral e muito mais ligado às narrativas de autoficção e performance, encontrei durante muitas manhãs um grupo de jovens artistas presos em suas casas, com urgência de troca, fala, representatividade, manifesto e pulsão artística”.

O distanciamento social provocado pela Covid-19 possibilitou a construção de um Coletivo composto por artistas de diversas partes do Brasil, como Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

Ator e diretor carioca, radicado em São Paulo desde 1991, Marcelo Varzea fez inúmeros trabalhos e passou por diferentes plataformas como TV, Cinema, Streaming e Teatro. Marcelo transitou pelos mais variados gêneros, desde grandes musicais, até espetáculos das mais radicais investigações de linguagens.

Em 2018, Varzea encenou o solo de sua autoria “Silencio.doc”, estreando na dramaturgia com ótimas críticas, além de lançar seu texto em livro editado pela Cobogó. No ano seguinte foi a vez de “Dolores”, estrelado por Lara Córdulla, indicada ao APCA e Aplauso Brasil por esse trabalho.

Serviço


Espetáculo ”(In)Confessáveis – O Jogo da Verdade”, apresentações pela plataforma Zoom


Quando: 19, 20, 26 e 27/1, terças e quartas-feiras, às 21h


Valor: a partir de R$ 20 | ingressos disponíveis no portal Sympla, link para compra: linktr.ee/ColetivoImpermanente


Mais informações: @ColetivoImpermanente

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: