cinema-com-jovens-e-populacao-indigena-e-tema-do-outras-palavras,-na-segunda-feira-(13)

Cinema com jovens e população indígena é tema do Outras Palavras, na segunda-feira (13)

A diretora de cinema Alice Gouveia vai falar sobre projetos que desenvolveu com parceiros e que têm promovido novos diálogos e percepções nas comunidades indígenas do Estado

Costa Neto/Secult-PE/Fundarpe

Costa Neto/Secult-PE/Fundarpe

Alice Gouveia é a idealizadora do projeto Realizando em 1 Minuto, que oferece oficinas a jovens interessados no fazer cinematográfico em sua forma mais simples, a partir de técnicas, teorias e práticas para a produção de vídeos curtos

O projeto Outras Palavras acontece em mais uma edição especial – por meio de live no Instagram da Secretaria de Cultura de Pernambuco (@culturape) – nesta segunda-feira (13/7), às 20h. A convidada da vez é a jornalista, professora e diretora de cinema Alice Gouveia. A mediação será feita pela jornalista Michelle de Assumpção, que integra a equipe de Comunicação da Secult-PE/Fundarpe.

Doutora em comunicação e especialista em estudos cinematográficos, Alice vai falar sobre dois projetos importantes em sua carreira e na trajetória de centenas de jovens que já passaram por ele. “Realizando em 1 Minuto”, como o nome sugere, é um projeto que oferece oficinas a jovens interessados no fazer cinematográfico em sua forma mais simples, a partir de técnicas, teorias e práticas para a produção de vídeos de um minuto. Mas não é só isso. Para criar os roteiros de sua produção, os realizadores precisam experimentar um mergulho em suas próprias histórias, identidades, problemas, anseios e inquietações.

“É um método muito inspirado em Paulo Freire. A gente trabalha com fotografias, logo no começo das aulas, e a partir das imagens provoca os alunos a refletirem e construírem histórias que queiram contar”, revela Alice. Ela conta que, inspirada no “Realizando em 1 Minuto”, surgiu a linha de ação de iniciação audiovisual no projeto “Cinema de Índio”. Desta vez, o fazer cinematográfico foi oferecido para jovens de comunidades indígenas de Pernambuco.

A idealização foi da produtora de audiovisual Carla Francine que, junto com o também produtor Mauro Lira, ministrou oficinas de Elaboração de Projetos e Cineclubismo. Alice Gouveia ficou responsável pelas oficinas de Realização Audiovisual, cujo resultado são os filmes que podem ser conferidos no site casadecinemaolindape.wixsite.com/cinemadeindio. Em campo, pelas diversas aldeias contempladas no projeto, Alice foi auxiliada por duas lideranças indígenas do segmento da cultura em suas comunidades: o casal Graci Guarany e Alexandre Pankararu.

O projeto chegou, em duas edições, a nove terras indígenas do Estado: Xucuru do Ororubá, Fulni-ô, Pankararu, Kambiwá, Kapinawá (entre janeiro e março de 2018, na primeira fase do projeto); além de Atikum, Pankará, Pipipã e Truká (na segunda edição, entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019).

No bate papo do Outras Palavras, Alice vai contar um pouco mais sobre a experiência desses projetos. Produções que tanto refletem as questões de interesse das aldeias, para elas próprias, como também nos auxiliam a ampliar nosso olhar sobre povos e personagens ainda tão desconhecidos e invisibilizados.

Sobre o projeto – O Outras Palavras é um projeto da Secretaria de Cultura de Pernambuco e Fundarpe, baseado no eixo da política pública de cultura que, para a promoção da formação cidadã, busca estabelecer um diálogo cada vez mais fortalecido com a educação. Por este motivo, é um projeto tem como parceira a Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE-PE) e o apoio da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

Nos últimos quatro anos de sua atividade, o Outras Palavras esteve em mais de 658 escolas públicas do Estado, promovendo o encontro de estudantes – já são mais de 25 mil jovens que participaram – com artistas e escritores do estado. Ao final dos encontros, as escolas anfitriãs recebem uma doação de livros para comporem suas bibliotecas. Mais de 7.100 mil livros já foram distribuídos, a maioria, de escritores pernambucanos premiados, projetos contemplados pelo Funcultura e doações de escritores.

Com a pandemia do Coronavírus e a necessidade do distanciamento social, o Outras Palavras migrou para o formato eletrônico. “Neste momento histórico, onde a fraternidade tem um papel principal nas relações humanas, a curadoria do projeto escolheu estimular a interação entre os jovens estudantes do Ensino Médio das escolas públicas e a juventude indígena do estado, facilitando maior conhecimento da visão de mundo de quem vive nas aldeias. Neste formato digital, um novo público começa a participar, interessado nos conteúdos oferecidos”, avalia Andréa Mota, coordenadora do Outras Palavras.

Serviço


Outras Palavras, com Alice Gouveia e mediação de Michelle de Assumpção


Quando: 13/7 (segunda-feira), às 20h


Local: Perfil do @culturape no Instagram

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: