BOLETIM COVID-19 – COMUNICAÇÃO SES-PE

 
Sábado, 19/09/2020
 
 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, neste sábado (19.09), 807 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 42 (5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os outros 765 (95%) são leves, ou seja, pacientes que não demandaram internamento hospitalar. Agora, Pernambuco totaliza 141.042 casos confirmados, sendo 26.032 graves e 115.010 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

 

Além disso, o boletim registra um total de 122.512 pacientes recuperados da doença. Destes, 16.106 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 106.406 eram casos leves.

Também foram confirmados laboratorialmente 33 óbitos (sendo 20 do sexo masculino e 13 do sexo feminino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Belém de Maria (1), Cabo de Santo Agostinho (5), Cachoeirinha (1), Camaragibe (2), Caruaru (2), Cedro (1), Custódia (1), Gameleira (1), Igarassu (1), Jurema (1), Olinda (1), Paulista (1), Primavera (1), Recife (10), Sanharó (1), São Lourenço da Mata (1), Tabira (1) e Triunfo (1). Com isso, o Estado totaliza 8.004 mortes pela doença.

As mortes registradas no boletim de hoje ocorreram entre 23 de abril e 18  de setembro. Do total de mortes do informe de hoje, 4 (12%) ocorreram nos últimos três dias, sendo uma na sexta-feira (18/09) e três em 16/09. Os outros 29 registros (88%) ocorreram entre os dias 23/04 e 14/09.

Os pacientes tinham idades entre 39 e 85 anos. As faixas etárias são: 30 a 39 (1), 40 a 49 (3), 50 a 59 (4), 60 a 69 (9), 70 a 79 (12), 80 anos ou mais (4). Dos 33 pacientes que vieram a óbito, 10 apresentavam comorbidades confirmadas: hipertensão (4), doença neurológica (3), câncer (2), doença de Chagas (1), doença respiratória (1) e tabagismo (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais estão em investigação.

 

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 21.585 casos foram confirmados 35.323 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.

 

TRANSPLANTES – Entre janeiro e agosto deste ano, foram realizados 511 transplantes de órgãos e tecidos em Pernambuco. O quantitativo é 52,8% menor que o mesmo período de 2019, quando foram feitos 1.082. A queda está diretamente relacionada à pandemia da Covid-19, já que, durante os meses mais críticos da doença, alguns programas passaram a fazer o procedimento apenas nos casos de urgência. Além disso, o contato com os familiares para autorização do ato ficou comprometido com a nova realidade do ambiente hospitalar.

 

Para reforçar com os pernambucanos a importância da doação de órgãos e tecidos e tirar dúvidas da população, a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE) realiza, às 20h da segunda-feira (21/09), live pelo instagram.com/saude_pe com a coordenadora da CT-PE, Noemy Gomes, e coordenadora da Educação Permanente da CT-PE, Jackeline Diniz. Já na quarta (23/09) e quinta-feira (24/09), ocorre o Encontro Nordeste Transplantes 2020, evento on-line com acesso apenas para aqueles que fizerem a inscrição, gratuita. As ações celebram o Dia Nacional de Doação de Órgãos (27/09).

 

“Com a pandemia do novo coronavírus, as visitas aos pacientes e permanência dos acompanhantes nas unidades ficaram restritas, dificultando o contato das Organizações de Procura de Órgãos e das Comissões Intra-Hospitalares de Doação com os familiares. Estamos nos reinventando neste momento para fazer essa interlocução de forma remota, acolher e passar as informações necessárias para que o indivíduo tenha o direito de se tornar um doador garantido. Além disso, precisamos chamar a atenção da população para o tema constantemente, esclarecendo como funciona o processo da doação, autorização e, principalmente, combatendo as fake news e os mitos que rodeiam o tema. A doação de órgãos e tecidos no Brasil segue critérios rígidos para garantir a segurança de todos os envolvidos e, principalmente, para dar uma chance de uma qualidade melhor de vida aqueles que estão na fila de espera por um sim”, afirma a coordenadora da CT-PE, Noemy Gomes. 

 

A doação de órgãos sólidos (coração, fígado, rim, pâncreas), além de tecidos (córnea), pode ser efetivada quando há a morte encefálica do potencial doador. Isso significa que o cérebro do paciente perdeu a capacidade de comandar as funções do corpo, como consequência de uma lesão conhecida e comprovada. O quadro é irreversível e diagnosticado e comprovado por uma série de exames, de acordo com norma do Conselho Federal de Medicina (CFM). “A morte encefálica é a morte do paciente. As funções vitais do corpo podem ser mantidas por aparelhos, inclusive para possibilitar a doação, mas não há nada mais que possa ser feito para reverter o quadro. Reforço que todo o processo segue protocolos rígidos e que são equiparados às regras dos principais países transplantadores”, frisa Noemy. Ela ainda lembra que quando há a parada do coração, é possível doar as córneas.

 

“Pernambuco é referência no Norte e Nordeste quando se trata de transplantes. Nós temos importantes serviços que atendem não só os pernambucanos, mas pessoas de diversos Estados, mostrando que o SUS não tem fronteiras e está pronto para atender a todos. Apesar de estarmos vivendo a mais grave crise de saúde pública dos últimos cem anos, não podemos deixar esse tema tão importante de lado. O assunto precisa fazer parte das nossas conversas com os familiares para que eles saibam do nosso desejo de doar, ajudando e facilitando essa decisão. Esse é um ato nobre, que salva e muda a realidade daqueles que precisam da doação de um órgão ou tecido para ter uma nova vida”, pontua o secretário estadual de Saúde, André Longo.

 

ENCONTRO NORDESTE – O Encontro Nordeste Transplantes 2020, iniciativa dos 9 Estados da região para debater o tema, será on-line e ocorre entre as 18h e 22h em ambos os dias. Os profissionais de saúde e estudantes interessados precisam fazer a inscrição pelo www.eventoweb.me/abto. Entre os temas abordados, a situação do programa de transplantes brasileiro e as expectativas e o impacto da pandemia da Covid-19 na área. As palestras serão feitas por representantes do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) e de programas de transplantes de Estados como Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

 

DADOS – Entre janeiro e agosto, foram realizados 511 transplantes em Pernambuco. Foram 208 de córnea (500 em 2019 || diminuição de 58%), 129 de medula óssea (165 em 2019 || – 22%), 101 de rim (255 em 2019 || – 60%), 47 de fígado (106 em 2019 (- 56%), 14 de coração (35 em 2019 || – 60%) e 1 de rim/pâncreas (6 em 2019 || – 83%), além de 11 de válvula cardíaca (15 em 2019 || – 27%).

 

Mesmo com a pandemia, os transplantes de fígado, coração e medula óssea foram mantidos. Já os de rim, em  uma decisão colegiada dos centros transplantadores e o Estado, foram temporariamente suspensos, já que o paciente tem um tratamento substitutivo (hemodiálise). Contudo, eles já foram retomados desde a segunda quinzena de julho. Os procedimentos eletivos de córnea continuam parados por decisão do Ministério da Saúde (casos de urgência continuaram sendo realizados). Já a fila de espera conta com 1.455 pacientes, sendo 1.160 aguardando um rim, 130 fígado, 97 córnea, 39 medula óssea, 16 rim/pâncreas e 13 coração.

Compartilhe
%d blogueiros gostam disto: